Dom Walmor Oliveira de Azevedo

Quase metade da população mundial vive abaixo da linha da pobreza, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU). São pessoas excluídas de serviços essenciais à saúde, à educação, sem trabalho e vida digna. Uma realidade que contracena com sucessivos avanços nas ciências, nas tecnologias. A
civilização contemporânea, com recursos para vencer graves problemas, continua a padecer, pois não reage ao grave cenário da extrema desigualdade, alimentado por um modelo econômico que beneficia poucos e sacrifica muitos. Esse modelo é permissivo com a exploração irracional dos recursos naturais, alimenta um consumo desmedido, egoísta, que gera uma felicidade efêmera.

OUTRAS EDIÇÕES

Dom Walmor Oliveira
de Azevedo

Grão-chanceler da PUC Minas,
Arcebispo Metropolitano de
Belo Horizonte,
Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)

“Vive-se, neste tempo, um clima permanente de desconfiança, enraizado no medo do outro, na ansiedade da perda das próprias vantagens”​

“É dever das instituições de ensino, sobretudo das que são de inspiração católica, contribuir para que a humanidade vença a indiferença – sobretudo aos pobres, à desigualdade social – tão globalizada no mundo contemporâneo”

A grande rede que interliga pessoas e lugares não pode ser o espaço das mentiras, mas um ambiente que favoreça o cultivo da verdade”

Prof. Dom Joaquim Giovani Mol Guimarães

Reitor da PUC Minas,
Bispo Auxiliar da Arquidiocese
de Belo Horizonte

“A escola em devir é para já. Temos que, de imediato, pensar que lugar e que dimensão e intensidade as práticas remotas de ensino terão ao serem agregadas ao ensino presencial.”

“Educação existe para formar pessoas melhores, para que essas sejam solidárias entre si e comprometidas com a construção de uma nação mais justa, fundada numa cultura de paz e de solidariedade”

“Que a comunicação, seja ela presencial ou virtual, contribua para que sejamos melhores cidadãos”